Estrutura do NB

cropped-nemeton_beleni_banner
romano-british-temple11 Eorwes, pl. eorweses – dedicado/a

1.a Wiđđumapos/wiđđduχtīr – filho/a do conhecimento : conhecimento básico da mitologia céltica em geral e das narrativas de um foco específico.
1.b Adgaryos/ – invocador/a: conhecimento básico das áreas de influência das deidades do nemeton.
1.c Sepānos/ – discípulo/a: envolvimento com a organização da atividade ritual.

2 Diađđus; pl. diađđowes – ordenado/a

2.a Bardos/-iđđā – bardo/isa: conhecimento mais aprofundado da mitologia com a capacidade de elaborar as narrativas oralmente.
2.b Wātis – adivinho/a; welīđ/welītā  – vidente: domínio de ferramentas divinatórias, técnicas de meditação e acesso à inspiração.
2.c Litudanos/ – condutor/a do rito: conhecedor da liturgia com capacidade para conduzir uma cerimônia.

3 Comrūnos/ – iniciado/a

3.a Brigantyos/ – elevado/a: Conhecedor das narrativas tradicionais com habilidade para transmiti-las e retirar delas a aplicação para a vida.
3.b Druwiđ/-iđđā – conhecedor/a da árvore: hábil na observação dos presságios espontâneos e na interpretação das ferramentas oraculares.
3.c Ollosamū/-onī – especialista: domina os princípios formadores da liturgia e é capaz de criar rituais nas três grandes categorias (Adoração e Homenagem, Consagração e Benção).

1 Eorwes, pl. eorweses – dedicado/a
2 Diađđus; pl. diađđowes – ordenado/a
3 Comrūnos/ – iniciado/a

1.a Wiđđumapos/wiđđduχtīr – filho/a do conhecimento : conhecimento básico da mitologia céltica em geral e das narrativas de um foco específico.
2.a Bardos/-iđđā – bardo/-isa: conhecimento mais aprofundado da mitologia com a capacidade de elaborar as narrativas oralmente.
3.a Brigantyos/ – elevado/a: Conhecedor das narrativas tradicionais com habilidade para transmiti-las e retirar delas a aplicação para a vida.

1.b Adgaryos/ – invocador/a: conhecimento básico das áreas de influência das deidades do nemeton.
2.b Wātis – adivinho/a; welīđ/welītā – vidente: domínio de ferramentas divinatórias, técnicas de meditação e acesso à inspiração.
3.b Druwiđ/-iđđā – conhecedor/a da árvore: hábil na observação dos presságios espontâneos e na interpretação das ferramentas oraculares.

1.c Sepānos/ – discípulo/a: envolvimento com a organização da atividade ritual.
2.c Litudanos/ – condutor/a do rito: conhecedor da liturgia com capacidade para conduzir uma cerimônia.
3.c Ollosamū/-onī – especialista: domina os princípios formadores da liturgia e é capaz de criar rituais nas três grandes categorias (Adoração e Homenagem, Consagração e Benção).

A seleção dos eorweses (dedicados) está aberta.

Bellouesus /|\

Anúncios