Arquivo da categoria: morgana

Algumas Tríades Irlandesas

Trí hamrai la Táin Bó Cúailgne: .i. in cuilmen dara héisi i nÉrinn; in marb dia haisnéis don bíu .i. Fergus mac Róig dia hinnisin do Ninníne éicius i n-aimsir Corbmaic maic Fáeláin; intí dia n-aisnóther, coimge bliadna dó.

Três maravilhas a respeito do Táin Bó Cúailgne: os cuilmen vieram à Irlanda em seu lugar; os mortos relatando-o aos vivos, isto é, Fergus mac Róig recitando-o a Ninníne, o poeta, na época de Cormac mac Fáeláin; uma proteção de um ano para aquele a quem for recitado.

Trí fáilti co n-íarduibi: fer tochmairc, fer gaite, fer aisnéise.

Três regozijos seguidos pela tristeza: o de um galanteador, o de um ladrão e o de um fofoqueiro.

Trí fáilti ata messu brón: fáilti fir íar ndiupairt, fáilti fir íar luga eithig, fáilti fir íar fingail.

Três regozijos que são piores do que a tristeza: a alegria de um homem que fraudou outro, a alegria de um homem que cometeu perjúrio, a alegria de um homem que cometeu parricídio.

Trí fiada co n-anfhiad: gréss i nóentig fri muintir, uisce rothé dar cosa, bíad goirt cen dig.

As três piores boas-vindas: um artesão na mesma casa com os companheiros, água fervendo sob os pés, comida salgada sem bebida.

Trí dotcaid maic athaig: clemnas fri hócthigern, gabáil for tascor ríg, commaid fri meirlechu.

Três coisas infelizes para o filho de um camponês: casar-se na família de um pequeno proprietário, ligar-se ao séquito de um rei, associar-se a ladrões.

Trí dotcaid threbairi: tarcud do drochmnái, fognam do drochfhlaith, cóemchlód fri drochfherann.

Três coisas infelizes para um chefe de família: pedir uma mulher ruim em casamento, servir um mau chefe, fazer uma troca por uma terra ruim.

Trí búada trebairi: tarcud do degmnái, fognam do degfhlaith, cóemchlód fri dagfherenn.

Três coisas excelentes para um chefe de família: pedir uma boa mulher em casamento, servir um bom chefe, fazer uma troca por terra boa.

Trí duirn ata dech for bith: dorn degsháir, dorn degmná, dorn deggobann.

Três mãos que são as melhores no mundo: a mão de um bom carpinteiro, a mão de uma mulher habilidosa, a mão de um bom ferreiro.

Tréde conaittig fírinne: mess, tomus, cubus.

Três coisas que a justiça exige: julgamento, medida, consciência.

Tréde conaittig brethemnas: gáis, féige, fiss.

Três coisas que o julgamento exige: sabedoria, penetração, conhecimento.

Trí túarascbála étraid: osnad, cluiche, céilide.

Três características da concuspicência: o suspirar, galhofa, visita.

Tréde ara carthar escara: máin, cruth, innraccus.

Três coisas pelas quais um inimigo é amado: riqueza, beleza, dignidade.

Tréde ara miscnigther cara: fogal, dognas, dímainche.

Três coisas pelas quais um amigo é odiado: transgressão, indiferença, futilidade.

Trí buirb in betha: óc contibi sen, slán contibi galarach, gáeth contibi báeth.

Três grosseiros do mundo: um jovem escarnecendo de um ancião, uma pessoa saudável escarnecendo de um inválido, um sábio escarnecendo de um tolo.

Trí buidir in betha: robud do throich, airchisecht fri faigdech, cosc mná báithe do drúis.

Três surdos do mundo: advertência a um homem condenado, zombar de um mendigo, manter uma mulher libertina afastada da luxúria.

Trí cáin docelat éitchi: sobés la anricht, áne la dóer, ecna la dodelb.

Três belas coisas que escondem a feiúra: boas maneiras no desfavorecido, habilidade num servo, sabedoria no disforme.

Trí seithir sotcaid: sognas, sochell, súarcus.

Três irmãs de boa sorte: boas maneiras, liberalidade, jovialidade.

Trí seithir sochlatad: léire, trebaire, rathmaire.

Três irmãs de boa reputação: diligência, prudência, generosidade.

Trí seithir dochlatad: laxa, díbe, prapchaillte.

Três irmãs de má reputação: inatividade, má vontade, mesquinhez.

Trí seithir ferge: écnach, augra, doithnges.

Três irmãs furiosas: blasfêmia, discórdia, maledicência.

Trí gúala doná fess fudomain: gúala flatha, gúala ecalse, gúala nemid filed.

Três cofres cuja profundidade é desconhecida: o cofre de um nobre, o cofre da Igreja, o cofre de um poeta.

Trí indchoisc ordain do duine: .i. sodelb, sáire, sulbaire.

Três indicações da dignidade de uma pessoa: uma bela figura, espontaneidade de conduta, eloquência.

Cetheora aipgitre báise: báithe, condailbe, imresan, doingthe.

Quatro elementos da insensatez: bobagem, preconceito, altercação, vulgaridade no falar.

Cetheora aipgitre gáise: ainmne, somnathe, sobraid[e], sothnges; ar is gáeth cach ainmnetach 7 sái cach somnath, fairsing cach sobraid, sochoisc cach sothengtha.

Quatro elementos da sabedoria: paciência, docilidade, sobriedade, polidez no falar, pois toda pessoa paciente é inteligente e toda pessoa dócil é sábia e toda pessoa sóbria é generosa e toda pessoa que fala com polidez é tratável.

Ceithre báis breithe: a breith i ngó, a breith cen dílse, a breith cen ailig, a breith cen fhorus.

As quatro mortes de um julgamento: dá-lo em falsidade, dá-lo sem multa, dá-lo sem precedente, dá-lo sem conhecimento.

Trí ata ferr i tig: daim, fir, béla.

Três coisas que são as melhores numa casa: bois, homens, machados.

Trí ata messum i tig: maic, mná, méile.

Três coisas que são as piores numa casa: meninos, mulheres, libidinagem.

Trí glais foríadat rúine: náire, túa, dochta.

Três cadeados que trancam segredos: vergonha, silêncio, proximidade.

Trí heochracha aroslicet imráitiu: mescca, tairisiu, serc.

Três chaves que destrancam pensamentos: embriaguez, confiança, amor.

Tréde faillsiges cach ndagfheras: dán, gaisced, crésine.

Três coisas que revelam todo homem bom: um dom especial, a bravura, a compaixão.

Tréde faillsigedar cach ndrochfheras: serba, miscais, midlachas.

Três coisas que revelam um homem mau: amargor, ódio, covardia.

Tréde immifoilnge gáis do báeth: ecna, fosta, sochoisce.

Três coisas que tornam um tolo sábio: aprendizagem, perseverança, mansidão.

Tréde immifoilnge báis do gáeth: fúasnad, ferg, mesca.

Três coisas que tornam um sábio tolo: rixas, cólera, ebriedade.

Tradução: Bellouesus /|\

Anúncios

Vita Merlini (trecho)

imagesCA9U9K4F

O trecho da Vita Merlini (Vida de Merlin) em que Geoffrey de Monmouth menciona Avalon. Original em latim e tradução.

Insula pomorum que fortunata uocatur
Ex re nomen habet quia per se singula profert
Non opus est illi sulcantibus arua colonis
Omnis abest cultus nisi quem natura ministrat
Vltro fecundas segetes producit et uuas
Nataque poma suis pretonso germine siluis
Omnia gignit humus uice graminis ultro redundans
Annis centenis aut ultra uiuiter illic
Illic iura nouem geniali lege sorores
Dant his qui ueniunt nostris ex partibus ad se
Quarum que prior est fit doctior arte medendi
Excedit que suas forma prestante sorores
Morgen ei nomen didicit que quid utilitatis
Gramina cuncta ferant ut languida corpora curet
Ars quoque nota sibi qua scit mutare figuram
Et resecare nouis quasi dedalus aera pennis
Cum uult est bristi- carnoti- siue papie
Cum uult in uestris es aere labitur horis
Hanc que mathematicam dicunt didicisse sorores
Moronoe- mazoe- gliten- glitonea- gliton
Tyronoe- thiten- cithara notissima thiten
Illuc post bellum camblani uulnere lesum
Duximus arcturum nos conducente barintho
Equora cui fuerant et celi sydera nota
Hoc rectore ratis cum principe uenimus illuc
Et nos quo decuit morgen suscepit honore
Inque suis talamis posuit super aurea regem
Stulta manu que sibi detexit uulnus honesta
Inspexit que diu. tandem que redire salutem
Posse sibi dixit- si secum tempore Longo
Esset et ipsius uellet medicamine fungi
Gaudentes igitur regem commisimus illi
Et dedimus uentis redeundo uela secundis.

A Ilha das Maçãs, que os homens chamam “Afortunada” recebe seu nome do fato de produzir todas as coisas por si mesma; os campos ali não necessitam de arados de lavradores e todo cultivo inexiste, exceto o que fornece a natureza. Por sua própria fecundidade, produz grão e uvas e macieiras brotam da grama bem aparada em seus bosques. O solo por si mesmo produz tudo o mais além de simples pasto e as pessoas ali vivem uma centena de anos ou mais. Ali, nove irmãs regem através de um gentil conjunto de leis aqueles que chegam a seu país. Aquela que é a primeira dentre elas é a mais habilidosa na arte curativa e excede suas irmãs na beleza de sua pessoa. Morgen é seu nome e ela aprendeu quais propriedades benéficas todas as ervas possuem, de forma que pode curar doenças físicas. Também conhece uma arte que permite mudar sua forma e cortar o ar em novas asas como Dédalo. Assim que deseja, ela se encontra em Brest, Chartres, ou Pávia, e, quando lhe apraz, suavemente desliza do ar em tuas margens. E dizem os homens que ela ensinou as matemáticas a suas irmãs, Moronoe, Mazoe, Gliten, Glitonea, Gliton, Tyronoe, Thitis, Thitis, mais conhecida por sua cítara. Para lá, depois da batalha de Camlan, Levamos o ferido Arthur, guiados por Barinthus, por quem as águas e as estrelas do céu são bem conhecidas. Com ele dirigindo o barco, lá chegamos com o príncipe e Morgen recebeu-nos com as honras apropriadas e em seu quarto acomodou o rei num leito de ouro e, com sua própria mão, expôs seu respeitável ferimento e observou-o demoradamente. Por fim, disse que a saúde poderia ser-lhe restaurada se com ela permanecesse por um longo tempo e ela pudesse fazer uso de sua arte curativa. Regozijando-nos po isso, a ela confiamos o rei e, retornando, desfraldamos nossas velas aos ventos favoráveis.

Tradução: Bellouesus /|\