Arquivo da categoria: gnose

Selos Mágicos

Palestra apresentada no 5o. Encontro Brasileiro de Druidismo e Reconstrucionismo Celta – EBDRC – Recife/PE, 18, 19 e 20/04/2014 e material relacionado

Tradução em português do grimório Arbatel.

Exemplo de criação de um selo

selos001

Uso do selo criado como padrão decorativo

selos002

Selo criado com o diagrama “Cabo da Correnteza de Ferchertne”

katus (2)

Outros alfabetos que podem ser usados na criação de selos

nennius_alphabet

The Alphabet of Nemniuus

Outros alfabetos

Etrusco

Alfabetos rúnicos

Alfabeto latino

Grego

Grego 2

Grego 3

Lepôntico

Alfabeto de Nennius

Alfabeto de Nennius 2

Textos acessórios (sugestões para construção de um rito de consagração)

Muirgheal

Ritos Preliminares

Ogham

Nomes do Ogham

Apontamentos Ogâmicos

Bellouesus /|\

Anúncios

Hino de Aset

ISISEncontrado na Biblioteca de Nag Hammadi (desenterrada em 1945 no Egito), este trecho do texto gnóstico Trovão, a Mente Perfeita tem sido comumente associado à grande deusa Aset, uma vez que compartilha muitas das características ligadas a essa divindade. O louvor ao misterioso Divino Feminino, que perpassa todo o texto, evoca Aset em suas múltiplas manifestações.

Sou o Começo e o Fim.
Sou homenageada e desprezada.
Sou a prostituta e a santa.
Sou a casada e a donzela.
Sou a mãe e a filha.
Sou os membros de minha mãe.
Sou estéril e meus filhos são muitos.
Sou aquela que se casou com magnificência e não tenho marido.
Sou aquela que traz filhos e não gero filhos.
Sou o alívio das aflições do trabalho.
Sou a noiva e o noivo e meu marido originou-me.
Sou a mãe de meu pai e a irmã de meu marido e ele é meu filho.
Sou o silêncio incompreensível e a ideia amiúde trazida à mente.
Sou a voz que ressoa pelo mundo e a palavra que surge em todo lugar.
Sou do meu próprio nome o soar, eis que sou conhecimento e ignorância.
Sou vergonha e valentia.
Sou despudorada; sou pudica.
Sou poder e sou apreensão.
Sou luta e paz.
Escutai-me, pois sou a ultrajante e a esplêndida.

Bellouesus /|\

Os Nomes dos Arcontes e A Cerimônia de Purificação

Trechos extraídos do Livro da Fiel Sabedoria (Pistis Sophia)

Os Nomes dos Arcontes

Maria, continuando a falar, disse a Jesus:
– Senhor, qual é a forma das trevas exteriores e quantos lugares de tormentos elas encerram?
Jesus respondeu:
– As trevas exteriores são um grande dragão cuja cauda está dentro da goela e ele está fora do mundo e envolve todo o mundo. Ele encerra grande número de lugares de tormentos e esses lugares compreendem doze divisões, consagradas a terríveis suplícios. Em cada uma dessas divisões está um arconte e a figura desses arcontes é diversa e eles se transformam, tomam alternadamente a forma um do outro. O primeiro arconte, presidindo a primeira divisão, tem a forma de um crocodilo cuja cauda penetrou em sua goela e da goela desse dragão saem o gelo, a peste, o frio da febre e todas as espécies de doenças. O nome verdadeiro que ele tem no lugar onde reside é Enchtonim. O arconte que está na segunda divisão tem a cara de um gato e se chama, no lugar onde habita, Khurakhar. O arconte que se encontra na terceira divisão tem a forma de um cão e no lugar em que está tem o nome de Arkharôkh. O arconte da quarta divisão tem a forma de uma serpente e se chama Akhrôkhar. O arconte que tem sua morada na quinta divisão tem a forma de um bezerro negro e se chama Markhour. O arconte que habita a sexta divisão tem a figura de um javali e seu nome é Lamkhamôr. O arconte da sétima divisão tem a forma de um urso e se chama Lokhar. O arconte que ocupa a oitava divisão tem a forma de um abutre e se chama Laraokh. O arconte que se encontra na nona divisão tem a forma de um basilisco e é chamado Arkheôkh. Na décima divisão existe um grande número de dragões e o chefe deles se chama Xarnarôkh. A décima primeira divisão encerra igualmente grande quantidade de arcontes tendo cada um sete cabeças de gato e têm por chefe um arconte que, nesse lugar, traz o nome de Rokhar. Na décima segunda divisão, há uma multidão de arcontes, mais numerosos que em qualquer outra; cada um deles têm sete cabeças com caras de cão e o chefe deles se chama, nesse lugar onde ele está amarrado, Khrêmaôr. São esses os arcontes das doze divisões, que estão localizados no interior do dragão das trevas exteriores. Cada um deles muda de nome e altera a forma de hora em hora. As doze divisões têm, cada uma, uma porta que abre para cima, de modo que o dragão das doze trevas exteriores, que se compõem de doze divisões, morada da obscuridade, torna-se rei de cada divisão quando ela se abre para cima e um anjo das regiões superiores vela sobre cada uma das portas dessas doze divisões e foi posto lá pelo éon, o primeiro homem, o guardião da luz, o deão da primeira ordem, para que o dragão e todos os arcontes fiquem nos lugares que lhes são atribuídos.

E aconteceu que, após ter sido crucificado, Nosso Senhor ressuscitou de entre os mortos no terceiro dia. E seus discípulos, reunidos ao redor dele, oravam, dizendo-lhe:
– Senhor, tem piedade de nós, que abandonamos nosso pai, nossa mãe e o mundo inteiro e te seguimos.
Então Jesus, estando entre seus discípulos e próximo do mar que se chama o Oceano, fez esta prece, dizendo:
– Escuta-me, meu Pai, Pai de toda paternidade e infinita luz: aeiou, ao aoi, ôiapsinother, thernops, nopsither, zagoyrê zagoyrê, nethmomaoth, nepsiomaoth, marachachtha, thobarrabai, tharnachachan, zorokothora, Ieou, sabaoth.
E enquanto Jesus dizia essas palavras Tomé, André, Tiago e Simão Cananeu estavam no ocidente, tendo os rostos voltados para o oriente, Filipe e Bartolomeu estavam ao sul, tendo os rostos voltados para o norte. Os outros discípulos e as mulheres que eram discípulas de Jesus estavam atrás dele. Jesus se mantinha de pé perto do altar e Jesus, voltando-se para os quatro cantos do mundo com seus discípulos, todos vestidos com túnicas de linho, disse:
– Iaô, Iaô, Iaô. Eis o significado desta palavra: iota significa que o universo foi emanado; alfa que ele voltará para o lugar de onde saiu; ômega, que será o fim dos fins.
E, tendo pronunciado essas palavras, Jesus disse:
Iaphtha, iaphtha, moinmaêr, ermanoier, ermanoier. O que significa: Pai de toda a paternidade, dos infinitos, tu me ouvirás por causa de meus discípulos que eu trouxe diante de ti, porque eles acreditaram em todas as palavras de tua verdade e farás todas as coisas pelas quais eu te clamei, pois conheço o nome do pai do tesouro da luz.

E Jesus clamou novamente, dizendo o nome do pai do tesouro da luz e disse:
– Que todos os mistérios dos arcontes e dos anjos e dos arcanjos e todas as forças e todas as coisas dos deuses invisíveis os conduzam para o alto para dispô-los à direita!
E nesse instante todos os céus se viraram para o ocidente e os éons e a esfera e seus arcontes e todas as suas potências fugiram para o ocidente à esquerda do disco do sol e do disco da lua. O disco do sol era um grande dragão cuja cauda estava em sua boca. Ele subia na sete potências da esquerda e foi arrastado por quatro potências que tinham a forma de cavalos brancos. A base da lua tinha a figura de um navio puxado por dois bois brancos, que estavam atrelados a ele e que dirigiam um dragão macho e um dragão fêmea. Uma figura de criança colocada na popa dirigia os dragões que tiravam a luz dos arcontes, a figura de um gato estava diante dele. E o mundo inteiro e as montanhas e os mares fugiram para o ocidente do lado esquerdo. E Jesus e seus discípulos permaneceram no meio das regiões do ar, nos caminhos do caminho do meio que fica acima da esfera. E eles vieram na primeira divisão que fica no meio. E Jesus estava no meio dos ares com seus discípulos. E os discípulos de Jesus lhe disseram:
– Em que lugar estamos?
Jesus lhes disse:
– Este é o lugar do caminho do meio. Pois sucedeu que, quando os arcontes de Adão se revoltaram, eles persistiram em se entregar a ações pecaminosas, procriando arcontes e anjos e decanos. Então Ieu, o pai de meu pai, saiu da direita e se ligou a uma heimarméné da esfera. Lá estavam doze éons: Sabaoth Adamas estava sobre seis e Iabraoth, seu irmão, acima dos outros seis. Então Iabraoth teve fé nos mistérios da luz com seus arcontes e agiu de acordo com os mistérios da luz e deixou os mistérios da união culpável. Mas Sabaoth Adamas continuou a fazer atos de união culpável com seus arcontes. E Ieu, o pai de meu pai, tendo visto que Iabraoth possuía a fé, arrebatou-o e a todos os seus arcontes que compartilhavam de sua fé. Recebendo-o na esfera, ele o conduziu ao ar puro, diante da luz do sol, entre as regiões dos que pertencem ao meio e entre as regiões do invisível de Deus. Ele o colocou lá com os arcontes que tinham tido fé nele e, levando Sabaoth Adamas com seus arcontes que não tinham feito as obras dos mistérios da luz, mas que persistiam em fazer as obras da união pecaminosa, ele os amarrou na esfera, ligando mil e oitocentos arcontes e, entre todos os éons, colocou trezentos e sessenta sobre eles. E pôs cinco outros grandes arcontes sobre os trezentos e sessenta arcontes e sobre todos os arcontes acorrentados e esses cinco arcontes são, no mundo do gênero humano, chamados por estes nomes: o primeiro se chama Cronos (Saturno), o segundo Ares (Marte), o terceiro, Hermes (Mercúrio), o quarto, Afrodite (Vênus), o quinto, Zeus (Júpiter).
E Jesus, continuando a falar, disse:
– Escutai mais um pouco que eu vos conto seus mistérios. Aconteceu que, quando Ieu os amarrou assim, puxando uma grande potência para fora do grande Invisível, ele a amarrou naquele que se chama Cronos e puxando uma outra potência de Ipsantachoinchainchoichêoch, que é um dos três deuses de triplos poderes, ligou-a em Ares e puxando uma outra potência de Xaïnchôôôch, que é um dos três deuses de triplos poderes, ele a ligou em Hermes e puxando ainda uma potência da Fiel Sabedoria, filha de Barbelo, amarrou-a em Afrodite. E pensando que eles tinham necessidade de um leme para dirigir o mundo e os éons da esfera, para que sua malícia não perdesse o mundo, ele subiu para o meio, levando consigo a potência do pequeno Sabaoth, o bom, o que pertence ao meio, e a ligou a Ares, porque ele é bom, a fim de que sua bondade os dirigisse. E regulou a conversão de sua marcha de modo que passasse treze meses em cada estação, para que cada um dos arcontes ao qual ele chegasse ficasse fora do estado de exercer sua maldade. E deu-lhe por companheiros doze éons vindos da região dos que pertencem a Hermes. Na primeira vez eu vos disse os nomes dos cinco arcontes do modo como os chamam os homens do mundo. Escutai, pois vos direi os seus nomes que são os seguintes: Orimoith é Cronos; Moinichoiaphor é Ares; Tarpetanoiph é Hermes; Chosi é Afrodite; Chombal é Zeus. Esses são seus nomes.

A Cerimônia da Purificação

E Jesus e seus discípulos permaneceram nas montanhas da Galiléia. E os discípulos, continuando a se dirigir a ele, disseram:
– Quando é que operaste a remissão dos pecados que cometemos e que nos tornarás dignos do reino de teu Pai?
E Jesus lhes disse:
– Em verdade eu vos digo, posso não somente resgatar vossos pecados, mas também vos tornar dignos do reino de meu Pai e vos dar o mistério da redenção dos pecados sobre a terra, a fim de que aquele a quem perdoardes os pecados sobre a terra, sejam-lhes perdoados nos céus e aquele a quem tiverdes ligado sobre a terra, seja ligado aos céus. Eu vos darei o mistério do reino dos céus, a fim de que o façais conhecido dos homens.
E Jesus lhes disse:
– Trazei-me o fogo dos ramos da palmeira.
E eles lhe trouxeram tudo o que pedia. E, levando a oferenda, colocou dois vasos de vinho, um à direita e um à esquerda. Colocou a oferenda na frente e pousou o cálice de água diante do vaso de vinho que estava à direita e pousou o cálice de vinho diante do vaso de vinho que estava à esquerda e pousou os pães arrumados em fila no meio dos cálices. E pousou o cálice de água atrás do pães e Jesus, mantendo-se diante da oferenda, pôs seus discípulos atrás dele, todos vestidos com trajes de linho, tendo nas mãos o sinal do nome do Pai dos tesouros da luz.

E exclamou, dizendo:
– Ouve-me, meu Pai, Pai de todas as paternidades, eu vos escolho para acabar com os pecados e para purificar de todas as faltas. Tira os pecados destes discípulos que me seguem e purifica-os de sua faltas, a fim de que eles sejam dignos de entrar no reino do meu Pai. Pai do tesouro da luz, sê-lhes propício, porque eles me seguiram e observaram meus mandamentos. Agora, meu Pai, Pai de toda paternidade, que eles venham, os que redimem os pecados, cujos nomes eu direi. Escutai-me, tirai os pecados destas almas e extingui suas faltas. Que elas sejam dignas de ser admitidas no reino de meu Pai, Pai da luz, pois conheço tuas grandes potências e as invoco: Auer, Bebrô, Athroni, Heoureph, Souphen, Knitousochreôph, Mauônbi, Mneuor, Souôni, Chôcheteôph, Chôchê, Anêmph. Tirai os pecados destas almas, extingui as faltas que eles fizeram voluntária e involuntariamente e o que fizeram no deboche e no adultério até o dia de hoje; tirai-lhes as faltas e que eles sejam dignos de entrar no reino de meu Pai, estes que participam desta oferta, ó meu santo Pai. Se estás, pois, me ouvindo, meu Pai, e se tiras os pecados destas almas e apagas suas faltas, tornando-as dignas de penetrar em teu reino, dá-me um sinal nesta oferenda.
E o sinal foi dado, como Jesus pedia.

E Jesus disse a seus discípulos:
– Rejubilai-vos e permanecei na alegria porque vossos pecados foram redimidos e vossas faltas apagadas e estais dignos de ser admitidos no reino de meu Pai.
E quando ele falou assim os discípulos sentiram uma imensa alegria. E Jesus lhes disse:
– Tal é a razão e tal é o mistério que fareis aos homens que forem fiéis e nos quais não exista nenhuma fraude e que escutarem vossos sermões com o coração puro. Seus pecados e suas faltas serão apagados até o dia presente, quando lhes dareis este mistério. Mas escondei este mistério e não o reveleis a qualquer homem, a não ser que ele pratique todas as coisas que eu vos disse nos mandamentos que vos dei, pois esse é o mistério do batismo dos que lhes tiram os pecados e apagam suas faltas. É o batismo da primeira oferta que conduz à região da verdade e ao interior da região da luz.

Tradução: Bellouesus /|\