Arquivo da categoria: Cain Druad

Cain Druad II – Conselhos da Tradição

today_druids2

Cain Druad
O Código dos Druidas

Conselhos da Tradição

Para que aprendas a ser comedido em tua expressão e possas decidir quais batalhas te convém lutar e como usarás tuas armas, a tradição oferece-te frutos de sua experiência.

Alimenta com eles teu espírito, a fim de permaneceres sempre ao abrigo desta grande árvore.

§1     Honra os Deuses, evita o mal, pratica a bravura.

§2     Proclama, aumenta a verdade.
Preserva a verdade, ela preservar-te-á.
Engrandece a verdade, ela engrandecer-te-á.

§3     Exalta a clemência, ela exaltar-te-á.
Cuida de tuas tribos, elas cuidarão de ti.
Ajuda tua tribos, elas ajudar-te-ão.
Conforta tuas tribos, elas confortar-te-ão.

§4     Observa o cocheiro de uma velha carruagem, pois aquele que dirige uma roda antiga     não dorme. Ele olha para frente, olha para trás e para a direita e para a esquerda.     Ele     observa, defende, protege, de forma a não romper por descuido ou ímpeto os     aros     das rodas que sob ele correm.

§5     Não enalteças juiz algum, a menos que este conheça os verdadeiros precedentes legais.

§6     Não tinjas de vermelho muitos vestíbulos, pois o derramamento de sangue é uma     destruição inútil de todo preceito.

§7     Que ricos presentes ou grandes tesouros e lucros não te ceguem ao fraco em seus     sofrimentos.

§8     Avalia a terra por seus frutos.

§9     Avalia os rios pela pureza de suas águas.

§10     Avalia o ferro por suas qualidades nas disputas das tribos.

§11     Avalia o direito e a justiça, a verdade e a lei, o contrato e regulamento de cada     indivíduo em    relação a todas as suas obrigações.

§12     A escuridão leva à luz,
A aflição leva ao júbilo,
Um imbecil leva a um sábio,
Um tolo leva a um douto,
Um servo leva a um homem livre,
A inospitalidade leva à hospitalidade,
A avareza leva à generosidade,
A mesquinhez leva à liberalidade,
A fúria leva à serenidade,
O motim leva à obediência,
Um usurpador leva a um verdadeiro senhor,
O conflito leva à paz,
A falsidade leva à verdade.

§13     Sê clemente, justo, imparcial, escrupuloso, constante, generoso, hospitaleiro, honrado,    equilibrado, benéfico, hábil, honesto, cortês, confiável, um julgador preciso.

§14     Podes morrer, morrerás; podes partir, partirás.

§15     Entre sábios e tolos, entre amigos e estranhos, entre jovens e velhos, entre inocentes e    perversos, eis como deves comportar-te:
Não sejas muito douto, não sejas muito néscio,
Não sejas muito presunçoso, não sejas muito acanhado,
Não sejas muito orgulhoso, não sejas muito humilde,
Não sejas muito falador, não sejas muito silencioso,
Não sejas muito rígido, não sejas muito débil.

§16     Se fores muito douto, esperar-se-á muito de ti.
Se fores muito néscio, serás enganado.
Se fores muito orgulhoso, acreditar-te-ão molesto.
Se fores muito humilde, serás sem honra.
Se fores muito falador, não te darão atenção.
Se fores muito silencioso, não serás  estimado.
Se fores muito rígido, serás quebrado.
Se fores muito débil, serás esmagado.

§17     Qual é a raiz da poesia e de todas as outras formas de sabedoria? Não é difícil. Três     caldeirões nascem em cada pessoa, isto é, o Caldeirão do Aquecimento, o Caldeirão do     Movimento e o Caldeirão da Sabedoria.

§18     O Caldeirão do Aquecimento nasce virado para cima numa pessoa desde o começo.     Distribui sabedoria às pessoas na sua juventude.

§19     O Caldeirão do Movimento, no entanto, aumenta depois de virar. Isso significa que ele     nasce    virado de lado numa pessoa.

§20     O Caldeirão da Sabedoria nasce sobre seus lábios e distribui sabedoria em cada arte,     além da poesia.

§21     Boa é a nascente do ritmo,
boa é a morada da fala,
boa é a confluência do poder
que edifica a força.

§22     É maior do que cada domínio,
é melhor do que cada herança,
traz o homem ao conhecimento
ousando além da ignorância.

§23     Cada semente está fadada a decair.
A onda da cheia
e a da rápida vazante:
o que a onda da cheia vos traz
a onda da vazante leva de vós.

§24     A onda da cheia
e aquela segunda onda, que é a vazante:
tudo virá para ti
a fim de que saibas reconhecê-lo.

§25     Uma coisa que tua própria mente não pode descortinar, a mente de um outro penetrará.

§26     O máximo da tolice é um pleito sem acordo.
É uma construção em cima da areia um acordo sem garantia.
Um fruto fora do alcance é a garantia sem poder.

§27     Ai daquele que é criado sem limites!

§28     Não trocarás por comida tua reputação, pois o abrigo da boa fama é melhor que o da     comida.

§29     Ao beber, não fiques sedento e não fiques embriagado.

§30     Não faças afirmações grandiosas
e não prometas o que não podes dar justamente,
pois é vergonhoso te jactares
do que não podes entregar.

§31     Melhor do que qualquer rico tesouro é uma grande, mortífera maldição.

§32     Não negocies e renegocies.

§33     Não há plantação de trigo sem alguma aveia selvagem.

§34     Melhor a suficiência que o excesso.

§35     Um homem vive depois de perder sua vida, mas não depois de perder sua honra.

§36     Alimento e bebida são mais saborosos quando se está feliz.

§37     Não tentes recolher tributo
de alguém que não pode pagar.
Melhor é dele receberes a metade
que perderes homem e dinheiro a um só tempo.

§38     Aquele que não denuncia, concorda. Aquele que não proíbe, ordena.

§39     Sabedoria sem ciência é melhor que ciência sem sabedoria.

§40     O pior para uma família  é o apego aos festejos.

§41     O que é pior para a mente?
Superficialidade, dureza e estreiteza,
pois nada há de bom numa mente superficial, dura e estreita.

§42     O intermediário recebe um golpe na cabeça.

§43     A excelência recebe mais honras que a idade.

§44     Previsão é melhor que retrospectiva.

§45     Todo espinho novo é mais penetrante.

§46     Um juiz mais veraz que o campo de batalha nunca foi e nunca será encontrado.

§47     Todo juiz desleal merece uma vida curta, remoção de seu cargo e morrer sem um     herdeiro.

§48     Bom senso é melhor do que conselho.
O conselho torna melhor o bom senso.

§49     Conhecer é melhor do que perguntar.
Perguntar melhora o conhecimento.

§50     Um cajado antigo não pode ser curvado.

§51     Todo homem é um mestre em seu próprio domínio.

§52     Não faças contratos apressadamente
para que depois não se te tornem motivo de lamentação.

§53     É irresponsável aquele que faz acordos com um de fato irresponsável.

§54     Uma boa fuga é melhor que uma resistência ruim.

§55     Evita a batalha e ela evitar-te-á.

§56     O caldeirão merece um osso. O ferreiro tem direito ao carvão.

§57     Um homem não é conhecido até ser escutado.

§58     Mantém abertos os teus ouvidos na floresta
e os teus olhos na planície,
pois não sabes (isso é importante)
se o teu inimigo está próximo.

§59     Dois terços de tua gentileza para as mulheres
e para os servos domésticos
e para os poetas que fazem canções.
Não sejas duro com as pessoas comuns.

§60     Todo homem é um heroi até encontrar a derrota.

§61     A reputação dura mais que a riqueza.

§62     Não recuses o oportuno para não te deparares com o importuno.

§63     Não evites nem procures uma briga.

§64     Escutei de alguém que lê livros:
aquele que protege um criminoso
é ele mesmo um criminoso.

§65     Não destruas tua verdade para agradares os demais.

§66     Se os poemas dos sábios são mentiras
vestimenta e comida são mentiras
e o mundo inteiro é uma mentira
e o próprio homem de barro é uma mentira.

§67     A cada vaca seu bezerro.

§68     É uma dívida tudo o que se anuncia.

§69     O princípio do conhecimento é a pergunta.

§70     Muitos conselhos são melhores do que um só.
Muitos raciocínios são melhores do que um só.
Muitas inteligências são melhores do que uma só.

§71     Quem matar, será morto; quem trair, será traído.

§72     Este mundo pertence a cada geração por sua vez.

§73     O duradouro nasce do passageiro.

§74     Toda pessoa infame é vingativa.

§75     O mais nobre dos provérbios é que cada homem saudável é um rei.

§76     Todo homem cansado é impaciente.

§77     A percepção tardia é o pior tipo de conselho.

§78     A paz é melhor que uma guerra bem-sucedida.

§79     Embora a falha seja pequena, uma bagatela,
Enxerga-a à distância em outrem.
Embora a falha seja do tamanho de uma montanha
Não a vês em ti mesmo.

§80     Qualquer um que possa ser ensinado é um sábio.

§81     O pior da sabedoria é sua lentidão.

§82     Um governante duradouro é aquele pelo qual se alcança a verdade.

§83     O direito de um indivíduo é a sua força.

§84     É bom todo encontro que produza paz.

§85     Não assopres uma brasa que não tenha fogo.

§86     Conhecimento no oeste, batalha no norte, prosperidade no leste, música no sul.

§87     A fuga não pode salvar um homem condenado.

§88     Todos não são o mesmo.

§89     Os olhos não choram pelo que não veem.

§90     Um grande homem liderando um povo pequeno é como uma cabeça de touro numa     novilha.

§91     Isto é capim para só uma vaca, relva para só um ganso, flores para uma só abelha.

§92     Minha clava é pequena em tua opinião.

§93     A verdade em nossos corações, a força em nossos braços, o cumprimento em nossas     línguas.

§94     O tempo passa lentamente quando esperas por alguma coisa.

§95     Teu esforço é como carregar água para uma lagoa.

§96     Por mais terrível que seja a batalha, geralmente sobra alguém para contar a história.

§97     Exércitos que não atacam são atacados.

§98     Qualquer um é ignorante no ofício de seu vizinho.

§99     A mão não é serva da mão.

§100     Os líderes desaparecem, as terras permanecem.

§101    Tudo que é verdadeiro é nobre.

§102    Persiste todo governante que alcance a justiça.

§103    Não pisoteies tua verdade para agradar os demais.

§104    Só os números não vencem uma batalha.

§105    Tudo o que em casa tens,
todo o teu mel, leite e trigo,
pela estrada não levarás, amigo,
quando fores para a morte.

§106    Ai daquele que faz de sua riqueza um deus!

§107    Apoiamo-nos sobre aqueles que antes de nós vieram
assim como no túmulo outros sobre nós apoiar-se-ão.

§108    O homem não sabe
para quem cria um mundo.
É um mundo para si mesmo
ou um mundo para outrem?

§109    Tudo o que é novo reluz, brilhante divertimento,
incansáveis são os desejos de um jovem,
belas as decisões sobre o amor,
doces as palavras do homem que corteja.

§110    Três coisas que são as piores para um governante: preguiça, traição, mau conselho.

§111    Três coisas que são as melhores para um governante: justiça, paz, um exército.

§112    Embora hábil com pedras duras,
embora um artista com o machado,
embora doce sua voz canora,
ouvi ser estúpido o que não lê.

§113    Três coisas que a justiça exige: capacidade crítica, critério, consciência.

§114    Três coisas que o julgamento exige: sabedoria, compreensão, conhecimento.

§115    Três desgraças de um povo: um governante mentiroso, um juiz desleal, um sacerdote     luxurioso.

§116    Três portas da falsidade: uma alegação enfurecida, conhecimento sem base firme, dar    informações sem boa memória.

§117    Três chaves que destrancam os pensamentos: bebedeira, confiança, amor.

§118    Três fechaduras que ocultam os segredos: vergonha, silêncio, proximidade.

§119    Não jures, não jures
pela terra onde pisas.
Pouco tempo ficarás em cima dela,
sob ela muito tempo estarás.

Bellouesus /|\

No Scribd

Cain Druad I

O Testamento de Morann

As Instruções de Cormac

Anúncios

Cain Druad I – O Protocolo Triplo

today_druids

Cain Druad
O Código dos Druidas

O Protocolo Triplo
Um Código de Conduta para Grupos Druídicos

Preâmbulo

O paganismo moderno gera considerável interesse em todo o mundo e a atividade de suas múltiplas vertentes é alvo de pesquisa acadêmica e garantia de audiência nos mais diversos meios de comunicação.

Os profissionais da mídia, quando possível e realmente interessados, informam-se diretamente com os grupos praticantes ou leem o que é veiculado nos fóruns, grupos de discussão e redes sociais. Numa época em que os pagãos modernos começam a ter suas crenças e práticas levadas um pouco mais a sério pelas autoridades e pelo público de modo geral, é claro para todos que possuam interesse no avanço da causa pagã que só se conseguirá êxito através da colaboração de uns com os outros e agindo com respeito.

Assim, observou-se que os fóruns, em alguns casos, tornaram-se espaços onde aqueles que não desejam ver o progresso do paganismo moderno e trabalhar juntos de forma cortês, seja por ser antipagãos, ou porque tentam ganhar batalhas políticas pelo descrédito lançado sobre grupos pagãos rivais, ou para intimidar e perseguir indivíduos com injúrias e ofensas, servem-se de tais espaços virtuais como instrumento para alcançar seus objetivos. Toda liberdade traz uma responsabilidade como contrapartida.

A liberdade de guiar veículos pelas ruas vem com a responsabilidade de não matar os pedestres. A liberdade de expressão vem com a responsabilidade de não causar ódio ou incitar à perseguição. Como acontece na vida, o agir em linha precisa de diretrizes que definam qual comportamento é aceitável.

Seção 1a. Protocolo voluntário para todos os grupos druídicos com presença na Internet

Todas as mensagens que, postadas em fóruns, grupos de discussão e redes sociais, para intencionalmente acusar ou vexar outro grupo pagão ou indivíduo, ou que expressarem uma opinião em termos de ódio, serão removidas pelos moderadores imediatamente.

Quaisquer mensagens que possam incitar outros a expressar comportamento antissocial ou ilegal, tais como assédio moral, racismo, perseguição pessoal ou a grupo ou conflito inter-religioso, deverão ser removidas pelos moderadores imediatamente.

Qualquer grupo ou indivíduo que seja mencionado pelo nome e sentir-se ofendido deverá solicitar que o tópico seja removido e apurada a atividade do moderador, concedendo-se o benefício da dúvida à pessoa acusada.

Todas as queixas devem ser apuradas com rapidez. Como regra geral, os membros do fórum, grupo de discussão ou rede social devem ser desencorajados a postar quaisquer endereços de correio eletrônico, endereços residenciais, números de telefone ou informações de identificação pessoal sobre outras pessoas, a menos que possam demonstrar inequivocamente o consentimento destas.

Seção 2a. Protocolo voluntário para todos os druidas/druidistas que prestarem informações aos meios de comunicação

Todas as perguntas devem ser respondidas com sinceridade e oferecendo as melhores informações de que se dispuser.

Se uma pergunta for feita a um druida/druidista e a resposta for discutível ou não houver consenso claro a seu respeito, a resposta não deverá ser “Os druidas acreditam…”, porém “A ordem de que sou membro acredita…” ou “Minha opinião pessoal sobre esse tema é…”.

Ao responder perguntas, deve-se evitar fazer comentários negativos sobre outros grupos ou indivíduos, dizendo-se apenas “Não desejo fazer nenhum comentário a esse respeito” ou “Outros grupos e indivíduos agem de outra forma e são livres para fazê-lo.” A resposta não deverá provocar dano a outro grupo ou indivíduo.

Seção 3a. Código de conduta voluntário para todos os grupos druídicos

a) Controvérsias entre grupos

Em uma controvérsia com outro grupo, examinar-se-á de início o assunto diretamente com seus membros, seja pessoalmente, por telefone ou por outro meio.

Se a questão não for resolvida, ambos os grupos darão oportunidade e espaço para o outro expor suas razões, não se envolverão em discórdia pública e procurarão partes neutras para mediar o conflito.

Se a mediação não conseguir resolver o problema e houver motivos para supor que conflitos maiores surgirão, o Conselho Brasileiro de Druidismo e Reconstrucionismo Céltico – CBDRC deverá ser chamado a tomar conhecimento da disputa e recomendar uma solução para compor a diferença entre as partes envolvidas.

b) Identidade

Não é admissível que qualquer grupo apresente-se falsamente assumindo a identidade de outro, ou que seus membros o façam.

c) Segurança pública e responsabilidade legal

Os grupos terão o cuidado de garantir que a segurança pública e a segurança dos seus membros sejam consideradas com o máximo rigor no planejamento de suas atividades. Recomenda-se ainda que todos os grupos considerem sua possível responsabilização civil.

Os grupos deverão esforçar-se para manter todas as suas práticas e atividades dentro dos limites estabelecidos pela sei secular, a menos que tal lei explicitamente reprima direitos religiosos ou étnicos; mesmo em tal situação, qualquer protesto deverá ser pacífico.

Os grupos assegurar-se-ão de que todos os membros estejam conscientes de que qualquer uso da violência é inaceitável.

d) Decoro

Os membros serão desencorajados a entrar em qualquer círculo ou participar de qualquer rito se estiverem embriagados ou sob influência de drogas recreativas.

Nos rituais públicos, observar-se-á o respeito à sensibilidade dos observadores e participantes.

e) Oportunidades compartilhadas

Quando se apresentarem oportunidades a um único grupo com relação aos principais espaços e monumentos públicos, se um evento ali for iniciativa de um só grupo, a este caberá a decisão de quem mais envolver ou de quem liderará.

Quando surgir uma oportunidade através de um círculo coletivo para, por exemplo, uma mesa-redonda, então os membros desse círculo deverão ser informados e receber a oportunidade de envolver-se.
Observando que o tempo seja curto e que o número de membros que poderão participar, restrito, talvez nem todos possam envolver-se, porém esforços nesse sentido deverão ser feitos.

Em eventos abertos ao acesso público, onde muitos grupos estiverem envolvidos, o líder de cerimônia deverá alternar entre as ordens ou grupos ativos, incluindo e reconhecendo os grupos participantes sempre que possível.

Igualmente, grupos individuais podem querer realizar atividades secundárias como um só grupo e isso é aceitável dentro deste Protocolo, desde que não vá contra ou se choque com o trabalho e consenso de outros grupos ativamente presentes.

Bellouesus /|\

No Scribd

Cain Druad II

O Testamento de Morann

As Instruções de Cormac