Arquivo mensal: dezembro 2013

Para X

Velas cor de laranja e sua vela pessoal na cor do seu signo, o que você não deve ter dificuldade em descobrir.

Verbena (Verbena officinalis) e óleo de oliva extravirgem. As folhas devem ficar em imersão por seis meses em local ventilado e ao abrigo da luz solar, sobretudo se sua região for muito quente. Será usado nas velas e algumas gotas no banho.

Um banho completo. Estar limpo e vestindo roupas limpas é indispensável. Se o seu cabelo for comprido, deve estar solto e meticulosamente desembaraçado.

Disponha as velas sobre o seu altar como mostrado na Fig. 1: cinco velas cor de laranja formando um pentágono e sua vela pessoal no centro, cada uma sobre a imagem da Fig. 2.

fig1Fig. 1

fig2Fig. 2

Saúde o altar. Erga as mãos voltadas para o rosto lentamente e feche os punhos, tocando com eles a testa, enquanto diz: “Na tua venerável presença”. Curve-se ligeiramente e repita a saudação mais duas vezes. Com os braços levantados, chame o Deus Bom:

Deus Bom! Em minhas ações, em minhas palavras, em meus desejos, em minha razão e na realização de minhas esperanças; em meu sono, em meus sonhos, em meu repouso, em meus pensamentos, em meu coração e alma sempre habitem a gloriosa Senhora da Sabedoria e o Carvalho de Dupla Copa. Habitem sempre em meu coração e alma a gloriosa Senhora da Sabedoria e o Carvalho de Dupla Copa!

Banharei minha face em nove raios de sol, três em minha fronte para o Céu, três em minha fronte para a Terra, três em minha fronte para o Mar. Esteja o mel em minha boca, a afeição em meu rosto; o amor que a Senhora da Sabedoria deu a seu Filho esteja no coração de toda criatura por mim.

Que tudo vejas, que tudo escutes, que tudo afetes com força divina para contentar-me e fortalecer-me. Cegos, surdos e mudos fiquem para sempre aqueles que me desprezam e escarnecem de mim. Que seus ossos sob o peso da tua clava sejam como o granizo estraçalhado embaixo das patas de uma manada de cavalos. Esteja em minha boca a língua do Rosto de Sol, a eloquência do Homem Forte em minhas palavras, seja minha a serenidade da Mãe dos Deuses na presença de todos os que me virem.

Que me conduzas do dia de ontem ao princípio de um novo dia em júbilo perpétuo. Pela dádiva da paz que me concedes, meus pensamentos, minhas palavras, minhas ações e meus desejos a ti dedico. Deus Bom, eu te peço e suplico que me protejas de todo ataque, que sejas meu escudo do poente à aurora, do primeiro clarão da manhã ao luzir da primeira estrela, pelo poder de vida e morte em teu bastão, pelo dom do teu Perfeito Conhecimento. Assim seja.

Deixe as velas queimarem até o fim. Queime os diagramas, menos o da sua vela pessoal, que você deverá guardar com cuidado, como uma lembrança do seu vínculo com o Deus Bom.

O ritual está terminado? Na verdade, não. Você chamou a atenção do Senhor do Perfeito Conhecimento, mas ele somente irá aceitá-lo se você lhe oferecer uma vida – a sua própria – vivendo-a de modo a merecer um lugar entre os que são próximos do Pai de Tudo.

Bellouesus /|\

Anúncios

Inscrição de Chamalières

MEDUSA2

Você sempre quis amaldiçoar como uma bruxa gaulesa?
Você sempre quis rogar uma praga celta para os seus desafetos e não sabia como?
Então agora os seus problemas acabaram! Com a “Inscrição de Chamalières” você também pode!

Andedion uediiumi deuion ris sunarti Maponon Areueriatin!

Lopites snieđđic sos brixtia anderon: […] eti secoui toncnaman toncsiiontio. Meion ponc sessit buetid ollon. Reguc cambion. Exsops: pissiiumi so canti ris sues. Enson bisiet. Luge dessummiis. luge dessumiis, luge dessumiis. Luxe!

Pela força dos deuses inferiores eu invoco Maponos Areueriatis!

Que os faças falar e os tortures por meio da magia dos seres do Mundo Inferior: […] e todos os que jurarão este falso juramento. O pequeno, quando ele o assentar, que se torne grande. E endireito o que está torto. Cego: diante de vós com isto assim o verei. Nosso será. Preparo-os para o juramento, preparo-os para o juramento, preparo-os para o juramento. Jura!

Customize a sua maldição:

Andedion uediiumi deuion ris sunarti Nemetonan!

Lopites snieđđic sos brixtia anderon: Ludouicon, Eduardon, Tatianan, Elisan eti namantas excingaunas. Meion ponc sessit buetid ollon. Reguc cambion. Exsopes: pissiiumi so canti ris sues. Enson bisiet. Luge dessummiis, luge dessumiis, luge dessumiis. Luxe!

Pela força dos deuses inferiores eu invoco Nemetona!

Que os faças falar e os tortures por meio da magia dos seres do Mundo Inferior: Luís, Eduardo, Tatiana, Elisa e todos os inimigos que atacam. O pequeno, quando ele o assentar, que se torne grande. E endireito o que está torto. Cegos: diante de vós com isto assim o verei. Nosso será. Preparo-os para o juramento, preparo-os para o juramento, preparo-os para o juramento. Jura!

Mais um produto “Javali Artes Negras”. Marca Registrada.

Bellouesus /|\

Esperando pelos Bárbaros

basilius

Περιμένοντας τους Bαρβάρους

— Τι περιμένουμε στην αγορά συναθροισμένοι;

Είναι οι βάρβαροι να φθάσουν σήμερα.

— Γιατί μέσα στην Σύγκλητο μια τέτοια απραξία;
Τι κάθοντ’ οι Συγκλητικοί και δεν νομοθετούνε;

Γιατί οι βάρβαροι θα φθάσουν σήμερα.
Τι νόμους πια θα κάμουν οι Συγκλητικοί;
Οι βάρβαροι σαν έλθουν θα νομοθετήσουν.

— Γιατί ο αυτοκράτωρ μας τόσο πρωί σηκώθη,
και κάθεται στης πόλεως την πιο μεγάλη πύλη
στον θρόνο επάνω, επίσημος, φορώντας την κορώνα;

Γιατί οι βάρβαροι θα φθάσουν σήμερα.
Κι ο αυτοκράτωρ περιμένει να δεχθεί
τον αρχηγό τους. Μάλιστα ετοίμασε
για να τον δώσει μια περγαμηνή. Εκεί
τον έγραψε τίτλους πολλούς κι ονόματα.

— Γιατί οι δυο μας ύπατοι κ’ οι πραίτορες εβγήκαν
σήμερα με τες κόκκινες, τες κεντημένες τόγες·
γιατί βραχιόλια φόρεσαν με τόσους αμεθύστους,
και δαχτυλίδια με λαμπρά, γυαλιστερά σμαράγδια·
γιατί να πιάσουν σήμερα πολύτιμα μπαστούνια
μ’ ασήμια και μαλάματα έκτακτα σκαλιγμένα;

Γιατί οι βάρβαροι θα φθάσουν σήμερα·
και τέτοια πράγματα θαμπώνουν τους βαρβάρους.

—Γιατί κ’ οι άξιοι ρήτορες δεν έρχονται σαν πάντα
να βγάλουνε τους λόγους τους, να πούνε τα δικά τους;

Γιατί οι βάρβαροι θα φθάσουν σήμερα·
κι αυτοί βαρυούντ’ ευφράδειες και δημηγορίες.

— Γιατί ν’ αρχίσει μονομιάς αυτή η ανησυχία
κ’ η σύγχυσις. (Τα πρόσωπα τι σοβαρά που εγίναν).
Γιατί αδειάζουν γρήγορα οι δρόμοι κ’ η πλατέες,
κι όλοι γυρνούν στα σπίτια τους πολύ συλλογισμένοι;

Γιατί ενύχτωσε κ’ οι βάρβαροι δεν ήλθαν.
Και μερικοί έφθασαν απ’ τα σύνορα,
και είπανε πως βάρβαροι πια δεν υπάρχουν.

Και τώρα τι θα γένουμε χωρίς βαρβάρους.
Οι άνθρωποι αυτοί ήσαν μια κάποια λύσις.

Κωνσταντίνος Π. Καβάφης

Esperando pelos Bárbaros

O que esperamos, reunidos no Forum?

Os bárbaros deveriam estar aqui hoje.

Por que nada está acontecendo no Senado?
Por que ali se assentam  os senadores sem legislar?

Porque os bárbaros estão chegando hoje.
Que leis podem os senadores fazer agora?
Uma vez que aqui estejam os bárbaros, eles farão as leis.

Por que se levantou tão cedo nosso imperador,
e por que no portão principal da cidade senta-se ele
em seu trono, paramentado, usando a coroa?

Porque os bárbaros estão chegando hoje
e o imperador aguarda para recepcionar seu líder.
Até mesmo preparou um pergaminho para dar-lhe,
cheio de títulos, com nomes pomposos.

Por que nossos dois cônsules e pretores hoje saíram
trajando suas togas bordadas, suas togas carmins?
Por que puseram braceletes com tantas ametistas,
e anéis que reluzem com esmeraldas magníficas?
Por que trazem eles bastões elegantes
lindamente trabalhados em prata e ouro?

Porque os bárbaros estão chegando hoje
e coisas assim deslumbram os bárbaros.

Por que não se adiantaram como de costume nossos mais primorosos oradores
a fazer suas arengas, dizer o que têm de dizer?

Porque os bárbaros estão chegando hoje
e aborrecem-nos a oratória e os discursos públicos.

Por que esta inquietação súbita, esta confusão?
(Como ficaram sérios os rostos das pessoas.)
Por que se esvaziam tão rapidamente ruas e praças,
todos indo para casa tão perdidos em pensamentos?

Porque a noite caiu e os bárbaros não vieram.
E alguns que recém voltaram da fronteira contam
que já não há mais bárbaros.

E agora, que nos acontecerá sem bárbaros?
Eles eram, essas pessoas, um tipo de solução.

Constantine P. Cavafy (poeta grego, 29/04/1863 – 29/04/1933)

Tradução: Bellouesus /|\

Alfabetos Ogâmicos do Tratado do Ogham (Parte 4)

31_ogam_romesc_breas31. Ogam romesc Breas .i. Bres mac Elathan .i. ba ges do dul sech gan a legad. Rolad iarum int ogam-sa ina ucht ic tec[h]t a cat[h] Muige Tuireg. Romebaidh iarum in cath fair-sium gen robai ac legad in ogaim. Is i so apgitir in ogaim-sea .i. scribthar in fid iarsin lin litir bis isin ainm in duine.
O Ogham que confundiu Bres, ou seja, Bres mac Elathan, que estava sob uma geas de nunca ir adiante sem o ler. Este Ogham foi depois lançado em seu peito enquanto se dirigia à Batalha de Mag Tuired. Mais tarde, ele perdeu a batalha enquanto estava lendo o Ogham. Este é o alfabeto desse Ogham, ou seja, a letra é escrita com todas as letras que compõem o nome da pessoa (isto é, cada letra, além de ser escrita é soletrada; por exemplo, a palavra mag, “planície”, escreve-se -/-|-//-, muin, ailm, gort. Escrita no Ogam romesc Breas, ficaria /-|||-|||||-,,,,,-|-|||||-,,-/-//-||-/////-”’-. O nome de cada fid que compõe a palavra é escrito por extenso).

32_ogam_dedenach32. Ogam dedenach .i. in litir deghinach don ainm scribthar ar son in feda .i. edad ar bethi, sail ar luis, nin ar fern, luis ar sail (sic l.), nin ar nin: ae, no da cc, no ch.
Ogham Final, isto é, a última letra do nome [da letra] é escrita pela letra, por exemplo, e por b, s por l, n por f, l por s, n for n etc.: ae, ou cc, ou ch.

33_cend_ar_nuaill33. Cend ar nuaill .i. in fidh dedinach do gach aicme scribthar ar in fidh toisech, 7 in fid toisech do gach aicme ar in fid ndedinach .i. nin ar bethi, 7 bethi ar nin, 7 gach fid ara cele isin aicme uili, 7 gach ni d’impodh inti fein uile frithrosc: ia no p, ae, no cc, no ch.
Cabeça na Lamentação, isto é, a última letra de cada grupo é escrita pela primeira letra e a primeira letra de cada grupo, pela última letra, ou seja, n por b e b por n e cada outra letra por sua companheira no grupo inteiro e tudo será invertido em si mesmo: ia ou p, ae ou cc ou ch.

34_ogam_ar_abairtar_cethrur34. Ogam ar abairtar cethrur .i. ceathar feada nama labairtar and .i. duir, 7 tinni, luis, fern .i. duir ar bethi, a u; tinni ar uath, a u; luis ar luis [l. muin], a u; fern ar ail[m], a u .i. duir ar bethi, da duir ar luis, 7 mar sin uili. Duir, ii duir, tri duir, iiii duir, u duir: tinne, da tinni, iii tinni, iiii tinni, u tinni, 7rl.
Ogham que é chamado quádruplo, isto é, nele somente quatro letras são faladas, ou seja d, t, l, f, isto é, d por b, cinco; t por h, cinco; l por m, cinco; f por a cinco, ou seja d por b, dd por l e o mesmo para todos.

35_ogam_buaidir_foranna35. Ogam buaidir foranna .i. in cetna fid do gach aicme ar bethi, a u ; in fid tanaise do each aicme ar uath, a u; in tres fid do gach aicme ar muin, a u, 7rl.: ae, no cc, no ch.
Ogham do tumulto da ira, isto é, a primeira letra de cada grupo pelo b, cinco; a segunda letra de cada grupo pelo h, cinco; a terceira letra de cada grupo pelo m, cinco etc.: ae, ou cc, ou ch.

36_ogam_rind_fri_derc36. Ogam rind fri derc .i. fraech frit[h]rosc .i. aicme ailme frit[h]rosc ar aicme bethi .i. idad ar bethi 7 bethi ar idad: aicme muine ar aicme uath [a] .i. ruis ar uath 7 uath ar ruis 7rl. Aicme bethi ar aicme ailme frithrasc 7 aicme uath[a] ar aicme m frithrosc.
Ogham da ponta para o olho, isto é, a urze de trás para frente, ou seja, o grupo A invertido pelo grupo B, e o i pelo b e o b pelo i; o grupo M pelo grupo H, isto é, o r pelo h e o h pelo r etc. O grupo B pelo grupo A  invertido e o grupo H pelo grupo M invertido.

37_ogam_maignech37. Ogam maignech .i. maigin iter gach da fid .i. cocrich nama don fidh fen.
Ogham contido, isto é, uma clausura entre cada duas letras, ou seja, uma raia para a própria letra unicamente.

38_fraech_frithrosc38. Fraech frithrosc, secundum alios.
A urze de trás para frente, de acordo com outros.

39_sem_nome39. Sem nome.

40_brec_mor40. Brec mor.
Grande pontilhado.

Bellouesus /|\

Ítaca

fat

Ιθάκη

Σα βγεις στον πηγαιμό για την Ιθάκη,
να εύχεσαι νάναι μακρύς ο δρόμος,
γεμάτος περιπέτειες, γεμάτος γνώσεις.
Τους Λαιστρυγόνας και τους Κύκλωπας,
τον θυμωμένο Ποσειδώνα μη φοβάσαι,
τέτοια στον δρόμο σου ποτέ σου δεν θα βρεις,
αν μέν’ η σκέψις σου υψηλή, αν εκλεκτή
συγκίνησις το πνεύμα και το σώμα σου αγγίζει.
Τους Λαιστρυγόνας και τους Κύκλωπας,
τον άγριο Ποσειδώνα δεν θα συναντήσεις,
αν δεν τους κουβανείς μες στην ψυχή σου,
αν η ψυχή σου δεν τους στήνει εμπρός σου.

Να εύχεσαι νάναι μακρύς ο δρόμος.
Πολλά τα καλοκαιρινά πρωιά να είναι
που με τι ευχαρίστησι, με τι χαρά
θα μπαίνεις σε λιμένας πρωτοειδωμένους·
να σταματήσεις σ’ εμπορεία Φοινικικά,
και τες καλές πραγμάτειες ν’ αποκτήσεις,
σεντέφια και κοράλλια, κεχριμπάρια κ’ έβενους,
και ηδονικά μυρωδικά κάθε λογής,
όσο μπορείς πιο άφθονα ηδονικά μυρωδικά·
σε πόλεις Aιγυπτιακές πολλές να πας,
να μάθεις και να μάθεις απ’ τους σπουδασμένους.

Πάντα στον νου σου νάχεις την Ιθάκη.
Το φθάσιμον εκεί είν’ ο προορισμός σου.
Aλλά μη βιάζεις το ταξείδι διόλου.
Καλλίτερα χρόνια πολλά να διαρκέσει·
και γέρος πια ν’ αράξεις στο νησί,
πλούσιος με όσα κέρδισες στον δρόμο,
μη προσδοκώντας πλούτη να σε δώσει η Ιθάκη.

Η Ιθάκη σ’ έδωσε τ’ ωραίο ταξείδι.
Χωρίς αυτήν δεν θάβγαινες στον δρόμο.
Άλλα δεν έχει να σε δώσει πια.

Κι αν πτωχική την βρεις, η Ιθάκη δεν σε γέλασε.
Έτσι σοφός που έγινες, με τόση πείρα,
ήδη θα το κατάλαβες η Ιθάκες τι σημαίνουν.

Κωνσταντίνος Π. Καβάφης

Ítaca

Ao partires para Ítaca,
esperas que a viagem seja longa,
cheia de aventura, cheia de descobertas.
Lestrigões e Ciclopes,
Posêidon furioso – não os temas:
jamais encontrarás coisas como essas em teu caminho
enquanto mantiveres teus pensamentos para cima,
enquanto uma excitação incomum sacudir teu espírito e teu corpo.
Lestrigões e Ciclopes,
Posêidon bravio – não os encontrarás
a menos que os tragas dentro da tua alma,
a menos que tua alma coloque-os diante de ti.

Esperas que a viagem seja longa.
Que haja muitas manhãs de verão quando,
com tanto prazer, com tanta alegria,
adentrares portos vistos pela primeira vez;
que te detenhas nos postos comerciais fenícios
para comprar finos artigos,
madrepérola e coral, âmbar e ébano,
perfumes sensuais de todos os tipos –
tantos perfumes sensuais quantos puderes;
e que visites muitas cidades egípcias
para encheres depósitos do conhecimento de seus sábios.

Mantém Ítaca sempre em tua mente.
Chegar ali é o que te cabe.
Contudo, de modo algum te apresses na jornada.
Melhor é que ela dure por anos,
para que sejas velho quando quando alcançares a ilha,
rico de tudo o que obtiveste no caminho,
sem esperares que Ítaca te faça rico.

Ítaca proporcionou-te a viagem maravilhosa.
Sem ela, não terias partido.
Nada lhe foi deixado para dar-te agora.

E, se ela parecer-te pobre, Ítaca não te enganou.
Sábio como te tornaste, tão cheio de experiência,
terás então compreendido o que essas Ítacas significam.

Constantine P. Cavafy (poeta grego, 29/04/1863 – 29/04/1933)

Tradução: Bellouesus /|\