Pagãos, gentios, apóstatas

Isidorus Hispalensis (São Isidoro de Sevilha, c. 560 – 04/04/636). Trecho de sua obra Etymologiae (ou Origines):ISIDORUS

L. VIII, C. X, §§ i-v: De paganis

Pagani ex pagis Atheniensium dicti, ubi exorti sunt. Ibi enim in locis agrestibus et pagis gentiles lucos idolaque statuerunt, et a tali initio vocabulum pagani sortiti sunt. Gentiles sunt qui sine lege sunt, et nondum crediderunt. Dicti autem gentiles, quia ita sunt ut fuerunt geniti, id est, sicut in carne descenderunt sub peccato, scilicet idolis servientes et necdum regenerati. Proinde gentiles primitus nuncupantur: ipsi dicuntur Graece Ethnici. Ethnici ex Graeco in Latinum interpretantur gentiles. Éthnos enim Graece gens dicitur. Post fidem autem non debere vocari gentes sive gentiles eos qui ex gentibus credunt; sicut post fidem dici iam non potest Iudaeus, testante Paulo Apostolo et dicente iam Christianis: “Quoniam cum gentes essetis”, hoc est, infideles. Apostatae dicuntur, qui post baptismum Christi susceptum ad idolorum cultum et sacrificiorum contaminationem revertuntur. Est autem nomen Graecum.

L. 8, C. 10, §§ 1-5: Sobre os pagãos

Os pagãos chamam-se pagani em razão das vilas, pagi, de Atenas (1), onde se originaram. Lá, em localidades do interior e vilas, os gentios formaram bosques e ídolos. Assim iniciando, os pagãos obtiveram seu nome. Gentios são aqueles que existem sem a Lei e ainda não acreditaram. São chamados gentiles porque são tal como nasceram, geniti, isto é, por servirem ídolos haviam caído sob o pecado na carne e não haviam ainda renascido. Os gentios são chamados ethnici em grego, pois em grego éthnos significa gens, uma nação ou povo. Depois de obter a fé, os povos ou nações não devem ser chamados gentes ou gentiles (2); assim como, após obter a fé, um indivíduo não mais pode ser chamado “judeu”, como testifica o apóstolo Paulo ao falar daqueles que se converteram ao cristianismo: quoniam cum gentes essetis (“desde quando éreis pagãos”, I Cor., 12, 2), isto é, infiéis. Apóstatas, apostatae, retornam à adoração dos ídolos e à contaminação do sacrifício depois de ter recebido o batismo de Cristo. É um nome grego (3).

(1) É do latim, não do grego, o termo paganus < pagus, uma localidade do interior, derivado do verbo pangere, fixar-se firmemente, demarcar fronteiras.
(2) Gentiles < L. gens + -ilis, relativo ou pertencente a uma gens romana; gens, raça tribo.
(3) Gr. apostátēs, desertor.

Uma curiosidade: Isidoro, arcebispo de Sevilha, é o santo padroeiro da Internet.

Bellouesus /|\

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s